Vereadores aprovam projeto que determina prioridade de implantação de faixas de pedestres recuadas em Blumenau

Nesta terça-feira (15), a Câmara de Vereadores de Blumenau aprovou um projeto de lei que determina a prioridade na implementação de faixas de pedestre em recuo no âmbito do município de Blumenau. O projeto é de autoria do vereador Alexandre Caminha (PP).

A intenção da proposta é evitar que o posicionamento incorreto induza ao desrespeito tanto por parte do pedestre quanto do condutor do veículo. O projeto propõe que poderá ser aplicado o recuo da faixa em esquinas, cruzamentos ou interseções entre ruas, locais no qual a visibilidade do motorista seja prejudicada forçando-o a se posicionar sobre a faixa. O recuo em questão deverá ter a medida aproximada de um veículo de tamanho médio.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Receba em primeira mão nossas notícias via WhatsApp
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

O vereador autor explicou que da maneira como as faixas de pedestre são atualmente, o veículo precisa ficar em cima da faixa para visualizar a entrada nas esquinas, o que coloca em risco os pedestres. Com as faixas recuadas, haveria espaço para o veículo parar e a travessia seria mais segura. “Próximo à Cooper do Garcia já existe essa faixa recuada, e os veículos podem entrar em segurança na Rua Amazonas sem estarem em cima da faixa”, observou. Ele ainda acrescentou que outros municípios já legislaram sobre essa questão e utilizam as faixas recuadas.

O vereador Almir Vieira (PP) parabenizou a intenção do projeto e lembrou que apresentou proposta com o mesmo teor, que não passou pela CCJ por vício de inconstitucionalidade, uma vez que os vereadores não podem legislar sobre o trânsito. Porém, ressaltou que seu voto seria favorável. Já o vereador Jens Mantau (PSDB) disse que seria contrário, acrescentando que o parecer dos procuradores não mudou e que por isso votaria não ao projeto. Ele ainda sugeriu que a proposta fosse encaminhada ao Executivo em forma de anteprojeto de lei.

O projeto foi aprovado por 7 votos a 5, e precisa ser votado em redação final na Casa antes de ser encaminhado para sanção do prefeito.


Fotos: Lucas Prudêncio / Imprensa CMB

error: Conteúdo Protegido!!