Vereador é contrário à presença de agente de trânsito em pátio de veículos apreendidos por irregularidades

É sabido por todos que existe uma profunda ausência de projetos e ações políticas com base nos princípios éticos e de valores, motivo que contribui com a repelência do cidadão de bem com autoridades políticas, principalmente com aquelas que tentam agir com o populismo e/ou sem conhecimento de causa.

Com o déficit de boas ideias, algumas vezes por falta de intelectualidade – apesar dessa escolha ter sido feita pelo eleitor – deputados, senadores e vereadores, procuram tentar aparecer de forma oposicionista ao Executivo, mas nem sempre o resultado é positivo, e o “feitiço” acaba se voltando contra o “feiticeiro”.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Receba em primeira mão nossas notícias via WhatsApp
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Um caso prático, que pode servir como é exemplo, foi a publicação de um vídeo nas redes sociais, por parte do vereador gasparense Cícero Amaro (PSD) que afirma ser contrário a presença de um agente de trânsito no pátio onde ficam veículos apreendidos por irregularidades em Gaspar.

“ABSURDO!!! Enquanto faltam Agentes Municipais para cuidar do trânsito em nossa Cidade, o Prefeito Kleber obriga a um Agente de trânsito a permanecer sem prestar nenhum trabalho, durante todo o seu expediente, junto ao Pátio particular de veículos apreendidos. Apenas para lhe impor constrangimento! Dá pra Admitir isso?” diz o vereador na publicação.

ABSURDO!!! Enquanto faltam Agentes Municipais para cuidar do trânsito em nossa Cidade, o Prefeito Kleber obriga a um Agente de trânsito a permanecer sem prestar nenhum trabalho, durante todo o seu expediente, junto ao Pátio particular de veículos apreendidos. Apenas para lhe impor constrangimento! Dá pra Admitir isso?

Publicado por Cícero Amaro em Quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Talvez o vereador não tinha conhecimento, mas a citação é idêntica em diversos municípios da região, como Blumenau e Jaraguá do Sul, por exemplo, mesmo tendo o local alugado. Além de outros casos, como responsabilidade do Estado e até mesmo da União, em alguns casos, como em Blumenau, por exemplo, onde há veículos apreendidos e envolvidos em acidentes de trânsito até mesmo na frente do posto da Polícia Militar Rodoviária.

Outra situação, é que o próprio agente que hoje tem a função de garantir a segurança e atender motoristas no local, protocolizou junto a Ministério Público de Santa Catarina, uma denúncia afirmando que a liberação de veículos efetuada por empresa terceiriza seria irregular, algo que ocorre em outras cidades catarinenses, como em Guaramirim e Joinville, de acordo com um breve levantamento realizado pelo Notícias Vale do Itajaí (NVI).

Cícero respondeu sobre a situação ao NVI informando que o servidor teria feito “reclamação que a Superintendência deveria dispor de estrutura para conferir e liberar os veículos apreendidos”. “sabendo disso, o governo joga ele lá sem qualquer estrutura ou equipamentos” afirmou o vereador.

Ele também foi questionado por diversos internautas, na sua própria postagem, onde também surgiu uma das indagações que está acalorada no momento, que é está ligada a estabilidade no funcionarismo público. O parlamentar respondeu que a maioria dos comentários feitos na sua postagem seria de pessoas que possuem ligação com o governo e que apesar de ser um assunto paralelo ao tema, tem a opinião de que “na maioria do casos, não é de mal servidor, é de má gestão mesmo!”

Por fim, Cícero Amaro afirmou que “a liberação continua sendo feita p concessionária e o agente que está lá não pode participar do processo” e que o servidor estaria sendo vítima de assédio moral “pessoa nesta hora está no frio, sem porta e janela, sem banheiro e sem nada pra fazer” concluiu.

A versão de Cícero é contestada pela Prefeitura de Gaspar, que em comunicado afirma que visa aprimorar e capacitar ainda mais a liberação de veículos apreendidos e que designou para a função no local um Agente Municipal de Trânsito para a função, e que este, é “plenamente capacitado e com pleno conhecimento das normas do Código Brasileiro de Trânsito, devendo exercer a função de fiscalizar a legalidade da liberação dos veículos, bem como de avaliar se estão em condições de retornar ao tráfego”.

Foto: Eduardo Saraiva/ A2IMG (Ilustração / Arquivo NVI)

error: Conteúdo Protegido!!