Terremoto na Bolívia é sentido em vários estados do Brasil, inclusive com tremores no Vale do Itajaí

Por volta das 11h desta segunda-feira (2), um terremoto de magnitude 6,8 na escala Richter, oriundo da Bolívia, foi sentido também em algumas cidades brasileiras, como no Distrito Federal, em São Paulo, no Paraná, no Rio Grande do Sul, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, além de Itajaí, onde moradores de dois prédios acionaram o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil do Município para averiguação da situação.

Foram pelo menos 15 chamadas. Um dos edifícios fica localizado no Centro de Itajaí e outro no bairro Vila Operária. Nesses locais, os imóveis não foram esvaziados e também não houve registro de feridos. Ainda durante a tarde, um engenheiro, acompanhado de agentes da Defesa Civil de Itajaí farão inspeção nesses edifícios para verificar se o tremor causou rachaduras ou algum abalo que comprometa as edificações.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

A intensidade do tremor foi dimensionada pelo Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), que mantém um site com relatos do tremor. Na Avenida Paulista, região central de São Paulo, diversos prédios chegaram a ser esvaziados. Imagens divulgadas pelas redes sociais mostram diversas pessoas ocupando calçadas após descerem dos prédios. Ainda em São Paulo, municípios do interior, como Marília, e do litoral, como Santos, também sentiram o tremor.

Já em Brasília, prédios localizados em uma de suas principais avenidas, a W3, na altura da quadra 508 Norte, foram evacuados e seus ocupantes receberam orientações do Corpo de Bombeiros Militar.

Em casos de tremores de terra, a orientação para quem sentir os efeitos do abalo é de aguardar o socorro dos bombeiros e da Defesa Civil distante do prédio ou edificação. Se o abalo for forte, a recomendação é procurar uma equipe de engenheiros para avaliar as condições de sustentação do edifício.

 

Foto: José Cruz / ABr

error: Conteúdo Protegido!!