Recém criada, Secretaria de Combate à Corrupção inicia atividades

A Secretaria de Combate à Corrupção (SCC), instituída neste início de ano, pelo presidente Jair Bolsonaro, iniciou definitivamente suas atividades na última quarta-feira (30). A nova unidade da Controladoria-Geral da União (CGU) passa agora a propor a sistematização e a padronização dos procedimentos e atos normativos referentes às atividades de acordos de leniência, inteligência e operações especiais.

De acordo com o Governo, a SCC irá supervisionar, coordenar e orientar a atuação das unidades da CGU nas negociações dos acordos de leniência; desenvolver e executar atividades de inteligência e de produção de informações estratégicas, inclusive por meio de investigações; e coordenar os trabalhos que exijam ações integradas com outros órgãos de combate à corrupção, nacionais ou estrangeiros.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Todos os chefes da nova Secretaria são servidores da carreira e das áreas técnicas de Finanças e Controle e têm em comum longa atuação na Secretaria Federal de Controle Interno (SFC), área da CGU responsável por fiscalizar a execução dos programas de governo; bem como realizar auditorias nos órgãos e entidades do Executivo Federal.

Confira abaixo o perfil dos titulares:

  • Secretário de Combate à Corrupção – João Carlos Figueiredo Cardoso é auditor de Finanças e Controle (AFC) desde 2006 e tem formação em Engenharia Mecânica. Na CGU, esteve à frente da Coordenação-Geral de Auditoria das Áreas de Minas e Energia (CGENE); e da Diretoria de Auditoria de Estatais (DAE).
  • Secretário de Combate à Corrupção Adjunto – Roberto César de Oliveira Viegas é auditor de Finanças e Controle (AFC) desde 2005. A sua formação acadêmica inclui graduação em Ciências Econômicas; especialização em Conjuntura Econômica e Política Mundial; e mestrado em Economia Política. Na CGU, foi superintendente nas Unidades Regionais no Estados do Maranhão, Minas Gerais e São Paulo; e secretário Federal de Controle Interno adjunto.
  • Diretor de Acordos de Leniência – Victor Godoy Veiga é auditor de Finanças e Controle (AFC) desde 2004. Ele tem graduação em Engenharia de Redes de Comunicação de Dados e pós-graduação em Globalização, Justiça e Segurança Humana. Na CGU, esteve à frente da Coordenação-Geral de Auditoria da Área Fazendária (DEFAZ); da Coordenação-Geral de Auditoria das Áreas de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (DEDIC); e da Diretoria de Auditoria da Área Social (DS).
  • Diretor de Operações Especiais – Israel José Reis de Carvalho é técnico de Finanças e Controle (TFC), tendo ingressado na carreira em 1994. Na CGU, já atuou na Diretoria de Auditoria de Programas da Área de Infraestrutura (DI); na Coordenação-Geral de Auditoria dos Programas das Áreas de Indústria e Comércio (DEINC); na Coordenação-Geral de Auditoria dos Programas das Áreas Fazendária (DEFAZ); e na Coordenação-Geral de Operações Especiais.
  • Diretoria de Pesquisas e Informações Estratégicas – Victor Raymond Steytler é auditor de Finanças e Controle (AFC) desde 2006. Ele é formado em Comunicação Social e tem pós-graduação em Orçamento Público. Na CGU, já foi chefe de divisão nas área de Meio Ambiente e de Informações Estratégicas; coordenador-geral na área de Ciência e Tecnologia; e secretário Federal de Controle Interno adjunto. Atualmente é diretor de Informações Estratégicas (DIE).

Foto: Ascom / CGU (da esquerda para direita: Victor Godoy (Leniência), João Carlos (Secretário), Israel Carvalho (Operações), Roberto Viegas (Adjunto) e Victor Steytler (Informações Estratégicas)

error: Conteúdo Protegido!!