Polícia Federal investiga senador catarinense por suposta organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira (30), a fase ostensiva da Operação Registro Espúrio com o objetivo de desarticular organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.

De acordo com as informações divulgadas pela PF. cerca de 320 policiais federais cumpriram 64 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva e 15 mandados de prisão temporária, além de outras medidas cautelares.  Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e foram cumpridos no Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Ainda conforme os dados da PF, as investigações que ocorrem há um ano, revelaram um amplo esquema de corrupção dentro da Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho, com suspeita de envolvimento de servidores públicos, lobistas, advogados, dirigentes de centrais sindicais e parlamentares.

Em Santa Catarina, um dos alvos é o senador Dalírio Beber (PSDB), que coordenou a campanha de Napoleão Bernardes na disputa de seu primeiro mandado à Prefeitura de Blumenau e que também foi lavo da Operação Lava Jato por suposto caixa dois, após delações de operadores da empreiteira Odebrecht.

Além do senador catarinense, fariam parte dos esquemas o ex-deputado e presidente do PTB, Roberto Jefferson, os deputados Paulinho da Força, Wilson Filho e Ademir Camilo Prates Rodrigues e o senador Cidinho Santos, atualmente licenciado do mandato. O Notícias Vale do Itajaí tentou contato com Beber através de ligações telefônicas e também de aplicativo de mensagens, mas nenhum contato foi atendido. Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro.

 

Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado

error: Conteúdo Protegido!!