Piçarraiá 2019 traz diferentes elementos para ser um evento cada vez mais sustentável

No primeiro final de semana de julho (5 a 7), Balneário Piçarras recebe o Piçarraiá, que se consolida não apenas como uma festa gastronômica que enobrece a canjica, receita tão popular no litoral catarinense, mas também pelas ações de sustentabilidade e apoio ao meio ambiente. A novidade de 2019 será o “Selo Consciência Circular”, um atestado de transformação dos resíduos gerados em produtos sustentáveis que serão úteis à comunidade.

A secretária de Turismo da cidade, Susan Corrêa, comenta sobre o desejo do município em promover ações em favor do futuro do meio ambiente e da sociedade, que levou à decisão de coletar e transformar os resíduos como papel e papelão, plástico e latas em uma massa parecida com o cimento que será transformada em 15 ecolixeiras. “Elas deverão ser utilizadas nas escolas que participam do Piçarraiá e também na praça em frente ao Paço Municipal. São peças duráveis, feitas a partir daquilo que seria jogado fora e com plaquinha identificando que foi reflexo de um evento ambientalmente responsável”, diz Susan.

Balneário Piçarras já atua com a legislação desde o ano passado que proíbe o uso de canudos e copos de material plástico descartável em eventos públicos, órgãos públicos e estabelecimentos comerciais da cidade. Dessa forma, os líquidos serão servidos em copos ecológicos reutilizáveis, os mesmos utilizados em grandes eventos de Santa Catarina.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Receba em primeira mão nossas notícias via WhatsApp
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

De material retornável com tecnologia europeia, não poluente e não cancerígeno, serão mais de três mil copos durante os dias de Piçarraiá. São peças feitas com estampa referentes à festa, cuja durabilidade é maior que 10 anos e pode receber tanto bebidas quentes como frias. O público do vento poderá alugar os copos e devolver ao final ou, se preferir, comprar ao valor de R$ 5,00 e levar como lembrança desta edição da festa da canjica. Como cervejas e refrigerantes são vendidos em lata, facilita a escolha dos visitantes em adquirir ou não o produto retornável.  O importante é não gerar lixo no evento.

O Piçarraiá

A festa que nasceu como elemento de união familiar entre as escolas da cidade, ganhou força e tem recebido visitantes em torno da gastronomia, dança e culturas comuns neste período de junho e julho pelo país. Além de programação gratuita, com shows nacionais como Althair e Alexandre e Rick e Renner, mais a produção e distribuição da maior canjica do Brasil com mais de 2 toneladas, o Piçarraiá mantém firme o propósito de ser um evento feito com e para a comunidade local.

Toda a parte decorativa é realizada por profissionais da Secretaria de Educação que, manualmente, cortam e colam materiais como papéis coloridos e EVA para dar uma cara ainda mais aconchegante à festa. As escolas também são responsáveis pela gastronomia e bebida. Cada uma delas tem direito a uma barraca e o grupo de professores, pais e familiares dos estudantes trabalha para a venda dos produtos. Todo o lucro fica para a própria unidade escolar.

Este ano, a edição ganhará um dia a mais. A festa inicia na noite de sexta-feira (5/7), seguindo no sábado a partir do meio-dia (com distribuição da maior canjica às 13h), mais atrativos durante todo o dia e noite e a finalização no domingo (7/7) com almoço festivo ao meio-dia, bingo e bailão para encerrar o final de semana repleto de alegria.

Toda a programação com shows nacionais, apresentações culturais, a maior canjica do Brasil e a Feira Regional de Artesanato Costa Verde & Mar ocorre no Ginásio Aurélio Solano de Macedo. A entrada é um quilo de alimento não perecível que será revertido para entidades filantrópicas municipais.

Foto: Divulgação / Piçarriá


error: Conteúdo Protegido!!