Para Fiesc governantes eleitos deverão lutar com os desafios de pacificação e controle de gastos

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) publicou um texto afirmando que a pacificação do país deve ser a prioridade do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), na avaliação da entidade. Além disso “tanto no plano nacional quanto no estadual, os compromissos assumidos por Jair Bolsonaro e por comandante Moisés, com a redução do tamanho do Estado e o controle dos gastos públicos, abrem a perspectiva de dar maior ritmo à retomada da economia”.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Para o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, daqui para frente é necessário colocar em prática o discurso convergente feito após o anúncio do resultado da eleição, no domingo (28). “Agora é preciso governar para todos e buscar a melhor forma de gerar riqueza, empregos e renda. O momento deve ser de busca dos objetivos comuns e de adotar postura de estadista para colocar em prática as promessas de campanha feitas ao eleitor, que deixou muito clara a sua expectativa de mudança na forma de fazer política”, avaliou.

No texto publicado Aguiar comenta que o governador eleito, também do PSL, Comandante Moisés, “mostrou-se favorável à livre iniciativa e aberto ao diálogo com o setor produtivo”, no encontro promovido pelo Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM), realizado no período eleitoral, onde o então candidato recebeu a Carta da Indústria, com as propostas do setor para a gestão do Estado, e assumiu os compromissos de não elevar os impostos e trabalhar pela melhoria da infraestrutura, prioridades apontadas por diversas entidades empresariais.

 

Foto: Marcos Campos / Fiesc

error: Conteúdo Protegido!!