Operação policial em SC pode ter proporcionado maior apreensão de drogas sintéticas no Brasil

Tudo começou em fevereiro de 2018, quando a Polícia Militar (PM) deu início desarticulação de um laboratório de drogas sintéticas que funcionava no bairro Estaleiro, em Itajaí. Naquela ocasião dois indivíduos foram presos e daí uma grande operação de investigação em conjunto da Polícia Civil (PC) catarinense com a Polícia Federal (PF) e apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi iniciada.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Receba em primeira mão nossas notícias via WhatsApp
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Nesse um ano de diligências, os criminosos foram monitorados, incluindo o transporte de elementos químicos que na sua maioria eram distribuídos clandestinamente por uma empresa sediada em Joinville e que seguia até um novo laboratório clandestino instalado na área rual de Rio dos Cedros no Vale do Itajaí. Parte desse transporte foi abordado pela PRF de Blumenau, que auxiliou na coleta de dados. Para transportar os elementos químicos a empresa emitia notas fiscais na maioria para pessoas físicas, em CPFs de pessoas que sequer sabiam que isso estava sendo feito.

Com registros e informações precisas obtidos através do trabalho de investigação, a PF solicitou à Justiça 15 mandados de busca e apreensão, que foram fornecidos e possibilitou o desencadeamento da operação “Psy Trance” resultando nesta quarta-feira (27) em 6 prisões em flagrante, incluindo um engenheiro químico e o dono da empresa de produtos químicos de Joinville.

Foto: Divulgação / Operação Psy Trance

Hoje, logo no início do dia, além de Rio dos Cedros, foram cumpridos mandados em Camboriú e Balneário Camboriú, no Vale, em Joinville, Norte Catarinense e em Anitápolis na Grande Florianópolis. Esses cumprimentos de mandados possibilitou além das prisões em flagrante, a apreensão de material que resultaria na produção de cerca de 300 mil comprimidos da substância psicotrópica ecstasy, o que renderia a quadrilha um montante estimado de R$ 18 milhões de reais, caso tudo fosse comercializado.

“Até o momento seis indivíduos foram presos, mas nossa investigação irá mais além, por isso não podemos divulgar os dados dos envolvidos” disse ao Notícias Vale do Itajaí o delegado da PF de Itajaí, Alex Biegas. “Os 5 presos em Rio dos Cedros serão encaminhados ao Presídio Regional de Blumenau e o dono da empresa química, conduzido ao Presídio Regional de Joinville, após os depoimentos” explicou o delegado da PC Vicente Soares.

As polícias ainda explicaram que a operação de hoje ocorreu por conta da época propícia de produção, por conta das festividades de Carnaval, uma vez que esse tipo de droga é bastante comercializado em baladas. A apreensão pode ser a maior do Brasil em relação a drogas sintéticas. Amostras desses materiais também serão enviados para o Instituto Nacional de Criminalística, em Brasília, para verificar a possibilidade de rastreamento de cada elemento químico produzido e como foi parar irregularmente nesse laboratório do crime.

Os presos poderão responder pelo crime de tráfico de drogas, cujo Código Penal prevê pena de 5 a 15 anos de reclusão e também por associação ao tráfico, com pena 3 a 10 anos, mais o pagamento de multas. Todos os presos são jovens, com média de faixa etária inferior a 30 anos.

Foto em destaque: Jefferson Santos / Notícias Vale do Itajaí

error: Conteúdo Protegido!!