Medalhistas

O colunista Ramon Benedett irá fazer você refletir sobre prêmios de algumas entidades que realizam ‘pesquisas de opinião’. Como elas realmente funcionam, tanto com relação a empresas como quem está na ‘vida pública’, representando você eleitor? Confira! Deixe também sua opinião em nossas redes sociais:

 

Lembro da primeira vez, já há um bom tempo, em que ligaram em nossa empresa nos parabenizando por sermos a empresa mais lembrada pela população blumenauense em nosso segmento de atuação. Era um resultado excelente, certamente fruto de muito trabalho. Confesso que naquela primeira vez de muitas que vieram depois, eu, ainda adolescente, cheguei a acreditar no título. Infelizmente, minha alegria não durou muito assim que contei para meu pai da pesquisa e expliquei que haveria uma cerimônia de premiação e que, para participar, precisaríamos desembolsar um determinado valor para cobrir o evento em si. Ele logo me fez compreender do que se passava.

Recordei essa história, semana passada, logo que vi nas redes sociais nossos vereadores Marcos da Rosa e Ricardo Alba divulgando resultado de uma pesquisa em que ambos foram apontados como os mais atuantes de Blumenau. Com uma medalha no peito, divulgaram vídeos diretamente do evento em Florianópolis, comprovando a seriedade e dedicação de seus esforços por nossa cidade.

Ver nosso presidente da Câmara de Vereadores o pós graduado Marcos da Rosa, juntamente com o mestre em desenvolvimento regional Ricardo Alba, divulgando uma pesquisa de opinião para embasá-los como os mais atuantes da cidade, é um atentado à inteligência dos eleitores. Uma pesquisa que pergunta à população, ao invés de mergulhar na real atuação dos parlamentares, deveria servir para premiar publicitários e não o desempenho na função de vereador.

Fico curioso pra saber se realmente eles acreditaram na pesquisa ou apenas aproveitaram para estufar o ego e ganhar umas curtidas de seus seguidores mais desligados. Confesso também que sou louco pra saber quem pagou o deslocamento, a participação na “premiação/seminário” que custou mais de R$ 500,00 para cada participante, sem contar na inscrição do assessor que nossos políticos quase sempre levam à tiracolo.

Em época de redes sociais, pessoas públicas devem cuidar com os prazeres da exposição que com rapidez fortalecem o ego e podem facilmente ofuscar o bom senso.

 

Ramon Aguiar Benedett

error: Conteúdo Protegido!!