Guarda de Trânsito preso por dupla tentativa de homicídio vai a Júri Popular nesta quarta-feira (13) em Blumenau

Preso desde abril do ano passado, após esfaquear duas pessoas num bar durante seu horário de folga, o guarda de trânsito de Blumenau, Ederson Roberto Neumann irá ser julgado nesta quarta-feira (13) no Tribunal do Júri, marcado para iniciar às 9h, sob a presidência do juiz direito Juliano Bogo.

Neumann foi preso em flagrante. Inicialmente a defesa, feita na época pelo advogado Joel Mello, alegou na audiência de custódia de que o acusado era dependente do álcool e um exame de insanidade mental foi solicitado e autorizado pelo juiz de plantão na ocasião. Sem sucesso da defesa, o acusado foi preso preventivamente e passou a ser defendido pelo advogado criminalista Franklin José de Assis.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Assis deve defender a tese de que agente o público sofre de síndrome de dependência do álcool e também de transtorno bipolar afetivo, segundo ele, comprovado pelo exame. “Essas patologias contribuíram para com a conduta do acusado” afirma o advogado, que tentará desqualificar a acusação do crime de tentativa de homicídio.

“Não vislumbro em hipótese alguma os tipos penais narrado na denúncia, qual sejam, tentativa de homicídio, mas sim os delitos de lesão corporal, e será exatamente isso que vou sustentar no Tribunal” enfatiza Franklin, explicando que buscará convencer os réus que o fato deveria ser tratado como lesão corporal, crime que tem pena mais branda.

A acusação será administrada pela promotora Luciana Filomeno Schaefer, que sustenta que após terem passado a noite no local bebendo, no início da manhã o Ederson foi até sua residência, retornou ao bar armado com uma faca, deslocando-se por meio de transporte de aplicativo, vindo a desferir golpes de faca num homem e numa mulher, que também estavam no local do crime.

No Seterb, foi aberta uma sindicância sobre o caso, porém ele não foi afastado da função, mesmo preso, por não estar em horário de trabalho quando se envolveu no fato. Ele está afastado e não recebe remuneração da autarquia no momento. Ele também possui envolvimentos em Boletins de Ocorrência por violência doméstica.

Foto: Jefferson Santos / Notícias Vale do Itajaí (Arquivo)

error: Conteúdo Protegido!!