Santa Catarina há 12 anos sem febre aftosa

Pecuaristas de Santa Catarina possuem muito a comemorar em relação ao certificado internacional como área livre de febre aftosa sem vacinação, pois há 12 anos o estado é referência em saúde animal e defesa agropecuária.

Com o reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o território catarinense se tornou o maior produtor de suínos do Brasil, o segundo maior produtor de aves e o quarto maior produtor de leite – com um agronegócio pujante, responsável por 63,7% das exportações catarinenses em 2019. A enfermidade animal além de febre, causa aparecimento de aftas – principalmente na boca e nos pés de animais de casco fendido – e é causada por um vírus do qual existem 7 tipos, que produzem sinais clínicos similares.

De acordo com Secretaria do Estado da Agricultura e da Pesca, o último foco de febre aftosa aconteceu em 1993 e a partir de 2000 foi suspensa a vacinação contra a doença. Em 25 de maio de 2007, representantes do Governo do Estado compareceram à Assembleia Mundial da OIE, onde receberam o certificado que fez do Estado a única zona livre de febre aftosa sem vacinação do Brasil.

Apenas três países da América Latina são considerados livres dessa doença infecciosa aguda sem necessidade de vacinação: Chile, Guiana e Peru. Além disso, existem zonas livres dentro de países (como é o caso de Santa Catarina) na Argentina, Bolívia, Colômbia e Equador.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Receba em primeira mão nossas notícias via WhatsApp
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Foto: Jefferson Santos / Notícias Vale do Itajaí

error: Conteúdo Protegido!!