Empresas de Santa Catarina buscam certificações para ampliar competitividade

da Dialetto

 

Seja para se inserir no mercado internacional, como o europeu, ou ampliar a qualidade dos serviços e produtos oferecidos, empresas investem na certificação dos processos para gerar maior credibilidade. De acordo com dados informados pela organização ISO, responsável por realizar a autorização das normas, o Brasil já ocupou a 10ª posição na lista de países com o maior número de empresas com certificações desse tipo, o maior na América Latina. Além dela, outras certificações são requeridas por empresas para poderem comercializar produtos ou oferecer algum tipo de serviço. E para estar em dia com as regras estabelecidas, é necessário que constantemente a organização certificada passe por auditorias para a recertificação.

 

Tipos de certificação

ISO — International Organization of Standardization

Há mais de 40 anos especializada no desenvolvimento de soluções para inteligência e comunicação corporativa, a Dígitro Tecnologia, de Florianópolis, foi recertificada após a realização de uma auditoria da gestão de qualidade, que ocorreu este ano e cuja validade segue até 2021. A ISO 9001 é uma norma de padronização organizacional aplicável a um determinado produto ou serviço e, ainda, um conjunto de práticas de gestão, reconhecida internacionalmente. Seu principal objetivo é dar segurança e confiança ao cliente quanto à entrega do produto ou serviço. “A adoção de uma certificação serve para mostrar ao mercado como a empresa está preocupada em se adequar e seguir à risca uma série de parâmetros e padrões, para realizar entregas com qualidade. Também auxilia na gestão dos processos”, afirma Luiz Aurélio Baptista, diretor administrativo e financeiro da Dígitro Tecnologia. No geral, o mercado externo é exigente ao estabelecer novos fornecedores. Este é outro ponto importante na obtenção de uma certificação dessa natureza, que pode gerar ainda mais força às organizações e aos novos negócios feitos em âmbito internacional e nacional.

 

Certificações técnicas para especialização de colaboradores

Outra alternativa utilizada pelas empresas para estarem em dia com a qualificação de seus colaboradores e, consequentemente, de seus serviços, principalmente do segmento de TI, são as certificações técnicas oferecidas por grandes empresas como Microsoft, Oracle e HPE. É pelo que opta a blumenauense de 26 anos Microservice, que atua como provedor de soluções de TI e integradora de tecnologias. “A empresa incentiva colaboradores a se certificarem dentro das tecnologias que atuam, através do custeio de provas, investimento em treinamentos preparatórios e bonificações com base em um plano de certificações. Isso nos permite garantir e atestar nossa especialidade e qualidade técnica”, afirma André Mengarda, gerente de serviços da Microservice. As certificações técnicas são importantes pois tornam os colaboradores especialistas no assunto. Além da especificação técnica, há incentivo para certificados em ITIL (Information Technology Infrastructure Library), que é um conjunto de boas práticas para serem aplicadas na infraestrutura, operação e gerenciamento de serviços de tecnologia da informação, o qual muitos colaboradores da empresa possuem. A preocupação da Microservice com a qualificação de seus colaboradores reflete-se no número de certificações: mais de 160 já foram obtidas, distribuídas entre todos os setores. As certificações reforçam o compromisso da empresa em qualidade e especialidade nas soluções que abrangem e também contribuem para o próprio desenvolvimento do colaborador que tem a oportunidade da atualização constante e o crescimento pessoal e profissional.

 

Certificação que gera segurança

A prática de investimento em certificações para os funcionários é compartilhada por outras empresas, como a Asaas — que desenvolve uma plataforma de gestão de cobranças e recebidos. O investimento no colaborador é revertido em credibilidade para a empresa. “Com profissionais em sintonia com o que há de mais novo no mercado, podemos sempre oferecer um serviço de qualidade e em sintonia com o que os usuários precisam”, destaca Piero Contezini, CEO da Asaas. No caso da empresa, contar com profissionais qualificados a partir de certificações também é sinal de segurança. Por atuar com dados sensíveis, ela precisa ter pessoal com o conhecimento técnico para saber como evitar roubo de dados, por exemplo. “Precisamos estar  conectados com tecnologias como criptografia, blockchain e conhecer muito do que estamos fazendo — e como proteger isso — para que os usuários possam utilizar com tranquilidade as aplicações”, completa Piero. A Asaas tem como política subsidiar até 50% de cursos e certificações feitos por ser colaboradores, no total cerca de 50 pessoas já usufruíram deste benefício.

 

error: Conteúdo Protegido!!