Em Brumadinho número de mortes contabilizadas é de 115 até o momento

O número de mortos no rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), subiu para 115, segundo balanço divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (1º) pela Defesa Civil do Estado. Além disso, 248 pessoas continuam desaparecidas. As autoridades ainda confirmam que 395 pessoas foram localizadas e dos 115 óbitos, pelo menos 71 foram identificados.

O número indica uma desaceleração na descoberta de corpos em meio aos rejeitos, uma vez que a maior parte dos que estavam perto da superfície já foi encontrada e devido ao fato de que a terra está mais seca, dificultando o acesso a áreas profundas. Para se ter uma ideia, desde o último domingo (27), quando a tragédia contabilizava 37 vítimas, o balanço de mortos subiu para 65 (28/01), 84 (29/01), 99 (30/01) e 110 (31/01).

Fotos: Divulgação / CBVI

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

“O trabalho de encontro de corpos terá que ser cada vez mais meticuloso e com isso o número de localizações devem diminuir a cada dia” disse o porta-voz dos bombeiros militares de MG, tenente Pedro Airaha. Que ainda afirma que “nenhum metro de lama deixará de ser vistoriado.”

Bombeiros Voluntários de Santa Catarina retornam de Brumadinho

Os trabalhos em Mariana, quando uma barragem estourou, duraram cerca de três meses, sendo que o número de vítimas foi muito inferior, já que lá morreram 19 pessoas, mesmo assim Bombeiros Voluntários de outros estados estão sendo dispensados em Brumadinho, ao exemplo da Força Tarefa que saiu de Indaial no último dia 26.

“Fizemos buscas em regiões de derrames de rejeitos, identificamos pontos de partes de segmento de corpo, que a gente plota e passa para equipe de comando para que equipes chequem até a esses pontos com helicóptero” disse Evandro Minotti, que comanda a operação dos bombeiros voluntários de Santa Catarina.

Ele ainda agradeceu a receptividade da população mineira, que prestou inclusive homenagens a eles, heróis anônimos. “Mais importante do que qualquer pedido de autoridades que solicitaram a nossa vinda, foi o apoio que recebemos” concluiu Vinotti.

Enquanto os voluntários retornam, Bombeiros Militares catarinenses permanecem trabalhando na buscar de corpos, com equipamentos e cães treinados para esse tipo de situação. Eles chegaram a Brumadinho nesta semana.

error: Conteúdo Protegido!!