Acidente de trabalho em obra de construção civil quase termina em tragédia no bairro Itoupava Central, em Blumenau

Diversas viaturas do Corpo de Bombeiros, mais o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), acompanhados da equipe aeromédica do Arcanjo 03 estiveram numa residência localizada na Rua Teresa Fischer, no bairro Itoupava Central para atendimento de quatro vítimas de desmoronamento de uma laje, que aconteceu por volta das 8h50min desta terça-feira (04).

Todas as vítimas são pedreiros, que estavam trabalhando na construção de ampliação de residência, quando a laje desabou. Duas vítimas conseguiram sair dos escombros sem auxílio de terceiros. Um dos trabalhadores conseguiu sair de meio do concreto curado com ajuda de moradores vizinhos, já a quarta vítima, em situação um pouco mais delicada precisou ser retirado pelos bombeiros, cerca de 30 minutos depois da queda.

Imagens: Jefferson Santos / Notícias Vale do Itajaí

 

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

A vítima mais grave, precisou receber uma pequena intervenção cirúrgica, ainda no local da cena, já que um vergalhão transfixou superficialmente a região acima da nuca. Apesar do procedimento, sua situação não é grave, pois segundo os socorristas, ele estava o tempo todo lúcido e orientado. Todas as vítimas foram encaminhadas para o Hospital Santo Antônio pelas equipes que atenderam o acidente de trabalho.

As vítimas foram identificadas como Rael Boa Ventura, 53 anos, Gervásio Weber, 58 e Osmar Weiss, de 55 anos, que tiveram ferimentos mais leves. A vítima mais grave é Renaldo Kohl, de 62 anos. Confira abaixo a entrevista do chefe de socorro do Corpo de Bombeiros:

 

 

Defesa Civil esteve no local para procedimentos de auxílio e fiscalização

Técnicos da Defesa Civil de Blumenau estiveram no local do acidente de trabalho para verificar se os moradores da residência precisarão de algum tipo de auxílio e também para verificar a situação de documentação da obra. A moradora da casa, Rafaela Ariane Batista, que reside há cerca de 15 anos no local afirmou que a construção ocorre a 30 dias e que todos os trabalhadores pertencem a uma empresa 2wu foi contratada para o serviço e que há licenças.

 

error: Conteúdo Protegido!!