Corpo de de Bombeiros de Santa Catarina lembra do trágico acidente de trânsito em Descanso, ocorrido há uma década e homenageiam vítimas

Diversas unidades Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina realizaram ás 19h de ontem (9) um ato simbólico em homenagem às 27 vítimas fatais do trágico acidente de trânsito ocorrido em 9 de outubro na BR-282, em Descanso. Entre os mortes 4 eram bombeiros militares e 1 era bombeiro comunitário, eles estavam socorrendo as vítimas de uma primeira colisão e acabaram sendo atingidos por um caminhão carregado com 30 toneladas de açúcar, que não parou na fila provocada pelo primeiro acidente envolvendo um outro caminhão e um ônibus.

Fotos: Divulgação / CBMSC

O 3º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM), de Blumenau e as Companhias de Brusque e de Timbó prestaram um minuto de continência e as sirenes das viaturas foram ligadas para homenagear todas as vítimas da fatalidade. O Corpo de Bombeiros de Ituporanga divulgou um vídeo das redes socais sobre o ato. Em especial foram lembradas as mortes de Leonir Francisco Bagatini (43 anos); Roberto Inácio Borgheti (41 anos); Evandro Daltoé (31 anos); todos cabos, além do soldado Carlos Roberto Françozi (34 anos) e do bombeiro comunitário Élio Moss (33 anos).

Homenagem aos Bombeiros Tombados em Serviço

Hoje completa 10 anos da tragédia ocorrida no município de Descanso envolvendo bombeiros do Estado de Santa Catarina, durante o atendimento de uma ocorrência. Nesse dia 4 bombeiros militares e 1 comunitário, além de civis, perderam suas vidas. Portanto, hoje foi um dia de homenagens em todo estado aqueles que sempre arriscaram suas vidas para que a de outros pudessem ser salvas. Seremos eternamente gratos. Cumpriram sua missão. Nunca serão esquecidos. Os bombeiros que faleceram naquela ocorrência foram os seguintes:Cb BM Leonir Francisco Bagatini (43 anos);Cb BM Roberto Inácio Borgheti (41 anos);Cb BM Evandro Daltoé (31 anos);Sd BM Carlos Roberto Françozi (34 anos); BC Élio Moss (33 anos).#ituporanga #cbmsc #descanso #bombeiros #samu

Publicado por Corpo de Bombeiros Militar de Ituporanga em Segunda, 9 de outubro de 2017

De acordo com o tenente Renan Cesar Vinotti Ceccato, do 3º BBM, a homenagem também serve para alerta da população quanto ao perigo de ficar em local de acidentes e para fazer com que os profissionais se preparem cada vez mais para o atendimento. “Infelizmente, são fatos assim que acabam motivando, não apenas o Corpo de Bombeiros, mas diversas instituições, na melhoria de atendimento, além de doutrina, principalmente no ramo tecnológico para garantir uma melhor segurança no momento do acidente.” disse o oficial ao Notícias Vale do Itajaí.

“Cotidianamente nós buscamos novas técnicas para garantir segurança para todos em cenas do gênero e também em outros tipos de catástrofes.” frisou o tenente, afirmando ainda que os bombeiros buscam se atualizar sem que novas técnicas de atendimento surgem. “Hoje o Corpo de Bombeiros está muito bem serviço de treinamento, porém também precisamos de equipamento de proteção individual e de tecnologia, como melhores sinalizados, roupas refletivas e como o Estado não consegue contribuir com tudo, convênios municipais são de grande importância” ressaltou Renan Cesar.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

 

Motorista que causou segundo acidente está preso

Rosinei Ferrari, condutor do caminhão do frete de açúcar, foi preso na última quinta-feira (5), em Cascavel-PR. Ele já havia sido preso no final de 2007 assim que saiu do Hospital São José, em Maravilha, após ficar internado por 72 dias. Conseguiu a liberdade com o deferimento de habeas corpus após ficar preso por 20 meses. Em 2015 foi condenado em júri popular a 21 anos de prisão e após isso teve a prisão reduzida para 14 anos, mas respondia em liberdade. Ele foi condenado porque jurados consideraram que ele sabia que seu veículo estava com apenas 20% dos freios e a perícia ainda apontou que no momento do acidente o caminhão estaca a 102 km/h.